4Lab Co

Uso de dados na educação: o que é e como pode melhorar o ensino

Com a chegada da pandemia, quase dois anos atrás, a tecnologia virou um grande aliado para muitos setores, principalmente para a educação. Agora que a sociedade está cada vez mais digital, o uso de dados é uma área com grande potencial para transformar a educação e oferecer mais qualidade para os alunos.

Uso de dados na educação: o que é e como pode melhorar o ensino.

Aquilo que não conseguimos medir não conseguimos gerenciar. Para Camila Aguiar, Gerente de Aprendizagem e Produção de Conteúdo, da Scaffold Education, o uso de dados na educação é uma forma de tornar as informações visíveis, acessíveis e mais confiáveis, além de diminuir as percepções que podem não ter, de fato, um embasamento. Isso permite a tomada de decisões mais assertivas.

É possível, por meio do uso de dados, analisar os resultados para poder ter um bom gerenciamento da situação, entendendo se é preciso mudar alguma estratégia ou ter certeza de que ela está realmente funcionando — uma forma de receber um “feedback” referente a alguma atividade ou matéria específica. “O uso de dados é, até mesmo, uma maneira de refletir o que faz sentido para a realidade dos alunos”, afirma.

A aplicação do uso de dados nas escolas

Atualmente, existem duas divisões de ciências de dados na educação. O Educational Data Mining (EDM) é capaz de compreender a descoberta de novos padrões, bem como classificar e modelar as informações. Já o Learning Analytics (LA) faz uso de estatística, visualização e análise de sentimentos, as quais vão reforçar a tomada de decisão dos educadores.

As escolas aproveitam esses dados para realizar análises comparativas entre os estudantes, com o objetivo de aprimorar o ensino e entender se está acontecendo algum atraso na aprendizagem. Essa análise vai poder melhorar o conhecimento do aluno. 

Por que é importante usar dados na educação e quais os benefícios?

“A partir do momento em que as escolas e os professores passam a enxergar o uso de dados como um aliado da estratégia pedagógica, é possível ver que há um aumento da intencionalidade na hora de fazer o planejamento das aulas”, ressalta Camila. Planejar um objetivo pensando em seu resultado final é uma técnica muito utilizada, conhecida como como “backwards planning”, e o uso de dados permite criar metas para chegar lá de forma mais estratégica, antecipando possíveis obstáculos.

Por exemplo, antes de dar início a um novo conteúdo, os educadores podem passar um exercício para descobrir o que os alunos sabem sobre o assunto. Ao finalizar a matéria, uma nova atividade irá dizer o quanto eles conseguiram progredir durante a aula. Então, a partir disso, é possível fazer análises individuais, a fim de personalizar o que determinado aluno precisa para aprender ou, até mesmo, entender a turma como um todo.

Alguns benefícios do uso de dados na educação são:

  • Obtenção de dados gerais e específicos, que mostram qual é o cenário em que a escola se encontra;
  • Apoio a estratégias que visam melhorar o ensino do professor;
  • Otimizar a aprendizagem dos alunos;
  • Criar uma cultura mais colaborativa e menos segmentada;
  • Entender a fundo como os alunos internalizam os conhecimentos.

Dessa forma, as informações, que antes eram apenas suposições, tornam-se algo tangível, entendendo o que falta para deixar o ensino muito mais fácil para a classe.

De que forma posso começar a aplicar?

Como já abordamos, com os dados visíveis fica mais fácil entender os pontos fracos e fortes do ensino, criando assim, uma estratégia mais personalizada para cada aluno.

Para você que quer começar a aplicar o uso de dados na sua escola, é possível contratar plataformas específicas. Outra opção é passar atividades específicas para entender como está o aprendizado e realizar pesquisas para saber o acesso dos alunos na internet.

Gabrielle Aguiar

0 comentários