4Lab Co

Como cultivar o foco mental em nossas crianças e em nós mesmos

Por: Delaney Ruston, produtora do filme “Screenagers

Como atingimos o máximo de nosso foco mental em um mundo excessivamente conectado? Essa é a questão que o professor da Universidade de GeorgeTown, autor e pai, Cal Newport, faz em seu novo livro “Minimalismo Digital”. Ele escreve sobre os modos para se diminuir a vida digital, mantendo as tecnologias que realmente nos ajudam a pensar mais profundamente e criam um foco mental maior.

Eu frequentemente falo sobre novas estratégias para ajudar as crianças a focar nessa revolução tecnológica, seja impondo uma regra para não utilização de celulares nas escolas ou meios de se permanecer firme nas tarefas de casa. Então, eu sempre fico animada para ouvir ideias de outras pessoas sobre ajudar a pensarmos de maneira mais profunda.

Uma das razões de querer discutir esse tópico é ter a chance de compartilhar com as nossas crianças algumas das estratégias que usamos para manter o nosso foco mental. Quando falo com os mais jovens, eles constantemente reclamam sobre adultos estarem distraídos em seus celulares e nós estamos sempre trabalhando nos dispositivos. Então, sutilmente reforçar esse ponto, bem como permanecer nesta tarefa, é fundamental.

Cal Newport argumenta que nós devemos ser muito mais seletivos sobre as tecnologias que adotamos para nossas vidas pessoais. Ele também diz que devemos “reduzir radicalmente o tempo que passamos online. Com isso, focar em um número menor de atividades, pois estas são as coisas que valorizamos profundamente”. Além disso, ele comenta algo que eu concordo: A tecnologia não é, intrinsecamente, nem boa nem ruim. A chave é usá-la para ajudar a alcançar os nossos objetivos e valores ao invés de deixar-se ser usado por ela.”

Modos de como conseguir foco mental

 

Em uma entrevista para o New York Times, Newport conversa com o escritor Tim Herrera sobre como conseguir foco mental. Aqui estão alguns pontos principais que Newport aponta:

Deixar a tecnologia temporariamente para voltar à tecnologia útil

Primeiramente, ele sugere algo bem radical: Desistir de todas as suas tecnologias, como mídias sociais, por um mês para refletir sobre os seus valores. Após isso, ele sugere voltar apenas com as coisas que de fato te ajudam a alcançar estes valores. A base da ideia é que a pessoa precisa tomar decisões intencionalmente e de forma seletiva em relação aos aplicativos e serviços que permitirão ser utilizados em sua vida digital.

Eu acho muito interessante o procedimento usado por Newport durante a pesquisa para “Minimalismo Digital”. Ele perguntou aos membros inscritos em sua Newsletter se algum deles já havia tentado esta ideia. Newport pensou que apenas algumas pessoas poderiam já ter tentado, mas na verdade 1600 disseram que já tinham feito isso. Eu não estou propondo que você vá tão longe. No entanto, eu realmente acredito que quanto mais falarmos com nossas crianças sobre esses valores e os objetivos de todos será melhor. Além disso, será mais claro será para eles que muito tempo na frente das telas pode atrapalhar.

Construir conscientemente os horários de trabalho

Newport diz a Herrera, “Você não pode apenas esperar até ter tempo livre e cabeça para se concentrar. Você tem que lutar para incorporar estas coisas na sua agenda. Isso ajuda, por exemplo, a incluir trabalho concentrado no seu calendário, como se fossem reuniões ou encontros. Após isso, você precisa proteger estas tarefas como faria se tivesse marcado uma reunião para aquilo.” 

Abraçar o tédio ajuda a ter reflexões profundas.

O autor diz a Herrera: “A habilidade de se concentrar é algo que deve ser treinado se você quer fazer isso bem. Se você sempre pega o seu celular e produz estímulos com o menor dos indícios de tédio, o seu cérebro vai construir um condicionamento Pavloviano entre o tédio e o estímulo. Isso significa que toda vez que você estiver pensando profundamente, seu cérebro não irá tolerar isso.”

Inicialmente eu não concordo com a maneira como ele coloca o pensamento como algo entediante. Entretanto, concordo que se você constantemente interrompe o fluxo do seu cérebro, novas conexões e conclusões mentais podem ser prejudicadas.

Como criar um fluxo de pensamentos sem distração?

Aqui estão três exemplos de coisas que eu faço para ajudar a criar momentos de pensamento sem me distrair:

  1. Eu desligo todas as notificações do meu celular, salvo mensagens de texto. Por muito tempo, eu nem ao menos presto atenção em notificações de pessoas que não precisem genuinamente de mim no momento. Recentemente eu liguei novamente as notificações de som, mas tenho pretendo desligá-las novamente.
  2. Eu vou bastante a cafés para poder pensar, fazer pesquisas escrever. Para ter um bom momento nestes cafés, eu ainda desligo meu Wifi para evitar qualquer outra atividade.
  3. Mantenho um caderninho ao lado do meu computador para que eu possa escrever ideias que surjam repentinamente. Eu escrevo as tarefas para lembrar de fazer elas mais tarde. Por exemplo, enquanto eu escrevo tive vários pensamento sobre as coisas que ainda preciso fazer, como encontrar a melhor rota para o local da minha gravação hoje. Ao invés de pesquisar imediatamente eu escrevo rapidamente estes pensamentos no caderninho. Assim, me mantenho focada escrevendo este texto.

Em uma sociedade, é essencial que possamos discutir como podemos criar pensamento com foco nas nossas crianças e estudantes. Eu acho tão gratificante que educadores e responsáveis pela tecnologia nas escolas estejam nos contatando sobre o Screenagers. Elas são as  responsáveis por integrar tecnologias nas escolas, e demonstram que querem fazer isso da melhor maneira possível.

Além disso, outra razão de eu querer falar disso é que os jovens também estão pensando sobre essas questões. Quando eu as pergunto sobre suas estratégias para se manterem no foco mental elas compartilham comigo o que estão tentando. Hoje mesmo eu estava filmando alguns estudantes do Ensino Fundamental e os perguntei sobre este assunto. Usar um cronômetro ou colocar o celular em modo avião enquanto fazem o dever de casa são alguns dos truques mais usados. 

Conclusão

Dessa forma, com base na Conversa de Terça sobre Tecnologia desta semana, vamos explorar o “minimalismo digital” em nossas crianças:

  1. Quais são os seus valores e objetivos neste momento da sua vida? Quanto destes objetivos requerem atenção e foco?
  2. Quais são as estratégias que você tem tentado para criar um momento livre de distrações?
  3. Imagine que as telas desaparecessem do mundo e você tivesse que escolher somente 3 atividades que dependam de computador, celular ou aplicativos, quais você escolheria?
  4. Você concorda com a seguinte frase? “Para poder pensar profundamente, é necessário estar aberto a tolerar e abraçar momentos de tédio.”

0 comentários